O perigo das traduções

TUGENDHAT. Autoconciencia y autodeterminación. p. 278.

Casi todas las épocas pasadas creyeron saber lo que era bueno y los sistemas filosóficos que surgieron en ellas creyeron poder decir precisamente cuál era la idea de la verdadera vida buena. Hoy hemos perdido esa seguridad.

TUGENDHAT. Selbstbewusstsein und Selbstbestimmung. p. 356-7.

Die meisten vergangenen Zeitalter glaubten zu wissen, was gut ist, und die philosophischen Systeme, die in ihnen entstanden sind, glaubten geradezu sagen zu können, welches die Idee des wahrhaft guten Lebens ist. So auch noch Hegel. Wir haben heute diese Sicherheit verloren. 

Isto (não) foi encontrado durante os seminários do Stein, nesta última quarta-feira.

Em todo caso, isso pode ser considerado um “erro” de tradução? Ou uma omissão? É a tradutora responsável por isso?

One comment

  1. Barbaridade.
    O mais interessante eh que tu perde a CUTUCADA do Tugendhat. “Olha, ACONTECEU ALGUMA COISA DEPOIS DO HEGEL”

    Para bom entendedor, meia palavra basta :)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: