Inscrição no Colóquio de Filosofia Hermenêutica e Fenomenológica

Hoje me inscrevi para o Colóquio de Filosofia Hermenêutica e Fenomenológica (sobre ele, há um post anterior). O título da minha comunicação é: Dis-positivo e esquecimento do ser: sobre a tese heideggeriana “experienciar o técnico em seu limitado”. Segue abaixo o resumo enviado (segunda-feira sai a confirmação).
Costuma-se realizar, comumente, uma distinção entre Heidegger I e Heidegger II, a fim de explicitar a trajetória de seu pensamento e distinguir os temas abordados pelo filósofo. Se, com Ser e tempo, Heidegger pretende realizar uma analítica existencial do Dasein, que tem como meta a pergunta pelo sentido do ser em geral (ontologia fundamental), com a chamada viravolta (Kehre), em 1929, Heidegger passa a entender a metafísica como a história do esquecimento do ser, isto é, do esquecimento da diferença ontológica e passa a ocupar-se com diversos temas relacionados com a atualidade (técnica, arte, pensamento, fim da filosofia, etc.).
Nesse sentido, o modo como o filósofo descreve a relação entre homem e ciência e técnica também sofrem modificações significativas.  Em Ser e tempo, Heidegger realiza uma diferenciação no modo de ocupação do ser-no-mundo, que, de maneira extremamente sucinta, poderíamos resumir como a ocupação circunspectiva e atemática e a ocupação a-circunspectiva e temática. Enquanto na primeira Dasein, enquanto ser-no-mundo, ocupa-se com os utensílios do mundo circundante, na segunda ele realiza uma tematização da sua compreensão, na qual poderá ocupar-se com a ciência (os parágrafos essenciais para esta interpretação são 3, 13, 24, 33 e 69).
Já em escritos posteriores, a ciência e a técnica são assumidas como um destino do próprio movimento da história do esquecimento do ser. A técnica, por exemplo, vista como um princípio epocal, possui um modo específico de presença, de ser compreendida apenas como um objeto. O modo como o homem responde a este apelo é a partir da solicitação à natureza como um fundo inesgotável de reserva, em que tudo se apresente apenas em seu estado de desocultamento como disponível. Com isso, a essência da técnica – que não é algo técnico, isto é, empírico –, bem como a própria essência do homem são esquecidos. A tarefa do pensamento torna-se, então, uma volta para trás, ao que primeiramente possibilita o desvelamento dos entes como objetos disponíveis e ao modo como o homem corresponde à interpelação do ser. Os principais escritos para esta parte encontram-se em trechos de Conferências e escritos filosóficos, Ensaios e conferências, Caminhos da floresta e Contribuições da filosofia.

Portanto, o escopo principal desta comunicação é apresentar o modo como Heidegger descreve a relação entre homem, mundo e técnica em sua segunda fase, questionando, brevemente, as mudanças de sua primeira fase. Conceitos como ser-no-mundo, mundo, ciência, técnica, Ge-stell, coisa, objetificação, esquecimento do ser, serão analisados previamente, como forma de elaboração do texto para a comunicação.


AddThis Social Bookmark Button

5 comentários

  1. Bom dia
    Meu nome é Nina, sou psicóloga, de Petrópolis/ RJ. Estou querendo saber a respeito dos Colóquios em Heidegger. Existe alguma previsão sobre o próximo evento? Preço? Data? Inscrição? Li alguma coisa na internet sobre um próximo evento cuja temática será: Dis-positivo e esquecimento do ser: sobre a tese heideggeriana”experenciar o técnico em seu limitado”.
    Nina

  2. Nina,

    o próximo evento (que tenho conhecimento) ocorrerá na cidade de Ijuí, RS. Sobre ele, há um post neste mesmo blog, com o link da página do Colóquio: http://heideggeriana.wordpress.com/2008/07/27/ii-coloquio-de-filosofia-hermeneutica-e-fenomenologica/.

    Já o título “dis-positivo e esquecimento do ser….” é o da minha comunicação, que apresentarei neste mesmo colóquio de Ijuí. Quando postei, havia escrito no primeiro parágrafo: “O título é…”, ao invés de “o título da minha comunicação é…” – o que deu margem à ambigüidades sobre o título do evento e o título da comunicação. O defeito está corrigido.

    Abraços.

  3. olá,
    Muito boa essa abordagem sobre um pensador tão importante, complexo e atual como é Heidegger.
    Sou estudante de filosofia (Uerj) e quero simplesmente agradecer pela seriedade e leveza da linguagem com que o referido trabalho foi apresentado.
    Um abraço.

  4. Olá, meu nome é IEDA.
    Sou estudante de filosofia na (ufg) gostaraia de saber, se ainda este ano ou no outro, se haverá algum encontro sobre heidegger!Existe alguma previsão sobre o próximo evento?ou você sabe de outros colóquios?
    Agradeço desde já…

  5. Cara Ieda,

    por ora, os congressos que eu tenho notícia são estes:

    (1) II Congresso Internacional – Questões Fundamentais do Pensamento Hermenêutico:
    “Hermenêutica e Ciência: Método, Interpretação e Objetividade”, a ser realizado dias 18 e 19 de novembro, na UERJ;
    e
    (2) II Colóquio Internacional de Metafísica, que tem como temática a preleção de Heidegger “Que é Metafísica?” (1929). Este evento será realizado dias 20 a 24 de abril de 2009, em Natal. Para maiores informações deste evento, visite: http://www.filosofia.cchla.ufrn.br/IIICIM/index.htm .

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: